Fornos e Fogões à Lenha

Rocket Stove ou Fogão Foguete

História: (Fonte Wikipédia)


Dr. Larry Winiarski, diretor técnico da Aprovecho, começou a desenvolver o Fogão Foguete, em 1980, com base em um fogão VITA, projetado por Sam Baldwin, utilizando os sistemas desenvolvidos pelos romanos em hipocausto, e descobriu os princípios do fogão foguete em 1982. Ganhou o Prêmio para Energia Sustentável em 2005, por seu trabalho em Honduras com o "Fogão Justa", que é baseado em princípios do fogão foguete. A  Aprovecho foi  vencedora do Prêmio África Especial no Prêmio Ashden em 2006 por seu trabalho com fogões foguetes para cozinhar em Lesoto , Malawi , Uganda , Moçambique, Tanzânia e Zâmbia.
Um precursor do fogão foguete foi a lâmpada de Argand, que foi patenteado em 1780. Este foi um grande desenvolvimento da tradicional lâmpada de óleo , que introduziu uma chaminé de vidro acima da chama para aumentar o fluxo de ar.

Fogões foguete podem ser construídos a partir de tijolos, latas de aço recicladas, ou de chapa de aço, ou pode ser comprado.
Apesar de fogões  foguetes serem encontrados mais comumente no ” terceiro mundo”, países onde as fontes de combustível de madeira são mais escassos,  tem-se visto nos últimos anos um aumento no uso em países desenvolvidos, como os Estados Unidos.  Alguns são pequenos para a portabilidade, com isolamento dentro de um desenho de parede dupla e uma câmara para a gaseificação da biomassa parcial e uma mistura adicional para aumentar a produção de BTU. A vantagem dos fogões  foguete é o combustível que muito pouco precisa, tais como madeira e plantas daninhas secas, para ser capaz de preparar uma refeição inteira com ele, mas com menos hidrocarbonetos e monóxido de carbono no ar.


Modelos de Rocket:

  

 






A Combustão de Alta Eficiência é a queima quase completa da lenha.

Princípios da Combustão Eficiente:
1- Isolamento máximo da câmara de combustão, pois a partir de 550° queima-se todos os gases gerados pela combustão e deste modo temos uma combustão limpa, sem fumaça;
2- Longos percursos com massa térmica, para absorver maior quantidade de calor, sem desperdícios.

Outro ponto muito importante sobre a queima da lenha, coletada de forma sustentável e não proveniente de monoculturas, é muito mais ecológica do que a queima do gás de cozinha, por exemplo. O carbono liberado pela queima da lenha é o carbono que foi absorvido pela árvore durante a sua vida. Carbono este que já estava na atmosfera. No caso da lenha não ser queimada, ou seja, ficar caída no solo, esta será consumida por micro-organismos, que na sua digestão também irão liberar o carbono contido na lenha.
Já o carbono liberado pelo gás de cozinha ou qualquer outro combustível fóssil é o carbono que foi armazenado nas profundezas da terra a milhões de anos atrás, e quando é liberado com a combustão aumenta os níveis de carbono na atmosfera. E soma-se a isto o petróleo gasto para o transporte dos botijões de gás.






Este foi o primeiro forno do Espaço Naturalmente.

Forno, com câmara de combustão embaixo.

O resíduo de calor do fogão de chapa passa por debaixo do forno, ajudando a aquecê-lo.




Modelo de forno de tonel com fogão Rocket, construído com Terra Crua:
Trabalho realizado no Sítio HorizonteA, em Porto Alegre-RS
Fevereiro de 2012

Passo a passo:
Preparando a massa!
Terra (subsolo) com traço de 20% de argila e 80% de areia + água + palha
Pode-se adicionar açúcar na massa, para aumentar a resistência do barro ao fogo.

Câmara de combustão
Levantamos a câmara de combustão uns 60cm do nível do chão, com tijolos comuns rejuntados com barro.
A abertura maior (à direita) será a porta da câmara de combustão, situada em frente ao forno, e a abertura lateral servirá para acoplar um pequeno fogão foguete.
Deixamos um vão entre a parede interna da câmara e parede externa, para não perder calor para o ambiente, de modo a ter uma combustão mais completa da lenha.
Neste vão preenchemos com algum material que seja isolante térmico, neste caso usamos palha.

Ferros para apoiar o tonel.

Utilizamos um tonel de 200 litros, de metal, facilmente encontrado em estações de coleta e reciclagem de materiais. 
Geralmente adquirimos estes tonéis a um custo bem baixo, e em bom estado. 
Neste caso pagamos R$30. 

Por cima do tonel colocamos telhas de zinco reutilizadas, deixando uma distância de 4cm entre o tonel e o zinco, de modo a fazer o calor passar por entre o tonel e a telha.
O fogo aquece a parte inferior do tonel e o calor sobe pelas laterais, e a saída da chaminé é na parte superior.

Sobre o zinco colocamos palha (para isolar) e tela de galinheiro, para fixar o barro e a palha.

Entrada da câmara de combustão à frente.

Fogão Rocket na lateral.
O resíduo de calor do Rocket é direcionado para a lateral do tonel.

Neste modelo de forno, a fumaça não entra em contato com os alimentos no interior do tonel.

Rocket em funcionamento.
Aquecendo a água pro Chimarrão!